Imagem da Semana: As Mãos de Orlac (1924)

Conrad Veidt in The Hands of OrlacConrad Veidt, em “As Mãos de Orlac”, de 1924, dirigido por Robert Wiene. Tamanho da imagem: 786 × 1037.

O Expressionismo foi a maior contribuição que a Alemanha deu à cultura mundial nas primeiras décadas do século 20. O estilo, mais que um simples movimento artístico, rapidamente se espalhou pela Europa e chegou à América, onde os filmes produzidos no estilo do cinema expressionista alemão começavam a ganhar adeptos entre os realizadores norte-americanos e aqueles que, fugindo do nazismo na Europa, imigraram para Hollywood para dar seguimento às suas carreiras. Dentre esses realizadores, Robert Wiene foi um dos poucos que decidiu permanecer na Europa, exilando-se primeiramente em Budapeste, na Hungria. Ali, prosseguiu a carreira como diretor de forma modesta dirigindo apenas um filme, “One Night in Venice” (1934). Depois de seguir para Londres, Wiene foi para Paris, onde morreu, de câncer, em 1938, dias antes de finalizar seu último trabalho, “Ultimatum”, que foi concluído por seu amigo Robert Siodmak.

Mais conhecido por “O Gabinete do Dr. Caligari”, de 1919, Robert Wiene realizou outros grandes filmes de terror no estilo expressionista. “As Mãos de Orlac” (Orlac’s Hände), produzido na Áustria em 1924, é um desses filmes. Estrelado por Conrad Veidt, o grande ator alemão que já havia atuado como o sonâmbulo Cesare em “O Gabinete” e aqui estrela no papel-título, o filme é baseado na novela “Les Mains d’Orlac” de Maurice Renard. A história conta como um grande pianista, Paul Orlac, após sobreviver a um grave acidente de trem em que teve as mãos decepadas, consegue, com a intervenção de um cirurgião brilhante receber as mãos de um assassino condenado à morte. Orlac não consegue mais tocar piano, e passa a sentir uma compulsão por assassinatos, como se as mãos do crimininoso morto o estivessem controlando a partir de agora.

“As Mãos de Orlac” ganharia uma versão hollywoodiana em 1935 chamada “Mad Love”, dirigida pelo célebre Karl Freund e estrelada por Colin Clive (Frankenstein) e Peter Lorre (M), e uma versão franco-inglesa de 1960, “Les Mains d’Orlac”, estrelada por Mel Ferrer e Christopher Lee, dirigida por Edmond T. Gréville. A novela original de Renard ainda inspirou outros filmes, entre eles, “The Hand”, de 1981, que marcou a estreia do roteirista Oliver Stone na direção, e “Les Mains de Roxana”, de 2012, onde aconteceu uma troca de sexo onde o protagonista era mulher, Roxanna Orlac, uma violinista que recebeu as mãos de uma criminosa que cometeu suicídio.

Leia mais sobre o Expressionismo Alemão e os grandes filmes de terror do início do século 20 aqui, no Assim Era Hollywood.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: