Atores: Lon Chaney

LON CHANEY: O HOMEM DAS MIL FACES

Nome: Leonidas Frank Chaney
Nascimento e local: 1 de abril de 1883, Colorado Springs, Colorado
Falecimento e local: 26 de agosto de 1930, Los Angeles, Califórnia
Ocupação: Ator
Casamento: Cleva Creighton (1906-1915); Hazel Hastings (1915-1930)

Lon-Chaney-edit

Se listas fossem justas, e se alguém resolvesse fazer uma lista com os maiores atores do início do cinema, o nome de Lon Chaney, estaria entre os cinco primeiros, ao lado de lendas como Charlie Chaplin, Buster Keaton, Douglas Fairbanks ou Emmil Jannings. Lon Chaney teve o seu melhor período de atividade entre 1920 e 1930, gozando do prestígio de ser um dos mais versáteis e talentosos atores que Hollywood já conheceu, especializado em interpretar personagens grotescos, monstruosos ou atormentados por traumas ou deformações físicas. Para tanto, ele utilizava técnicas inovadoras de maquiagem desenvolvidas por ele mesmo e que lhe valeram o apelido de “O Homem das Mil Faces”.

Leonidas Frank Chaney nasceu em Colorado Springs, em 1º de abril de 1883, filho de Frank H Chaney e Emma Alice Kennedy, cujo pai foi o fundador da escola local para mudos, a Colorado School for the Deaf and Blind, em 1874. Foi nela que os pais de Chaney se conheceram – ambos eram surdos. Como filho de pais surdos, Chaney desenvolveu desde cedo uma técnica particular de pantomima, que faria dele um mestre na arte da atuação. Sua estreia nos palcos aconteceu em 1902 e logo ele estava viajando em um teatro de Vaudeville, além de apresentar-se em peças de teatro. Aos 16 anos, casou-se com Cleva Creighton, e dessa união nasceu seu único filho, Creighton Chaney, que mais tarde seguiria a carreira do pai como Lon Chaney Jr.

Uma tragédia, porém, abalou o casamento: em 1913, devido a problemas conjugais, Cleva tentou o suicídio engolindo cloreto de mercúrio durante uma peça do marido no Majestic Theater de Los Angeles. O suicídio não se consumou, mas arruinaria a sua carreira de cantora. O escândalo e o divórcio também prejudicaram a carreira de Chaney, que abandonou o teatro e foi para Hollywood. Por volta de 1915, ele já estava sob contrato da Universal atuando em vários filmes graças também à sua incrível habilidade de maquiador. As amizades que cultivou proporcionaram a ele bons papéis a partir de então, e incentivaram Chaney a investir em papéis mais macabros e que acabariam marcando para sempre a sua carreira como ator de cinema. Mais tarde, Chaney se casou com uma de suas colegas de palco, a corista Hazel Hastings, e juntos ele conseguiu a custódia do filho, então com dez anos de idade.

Lon-Chaney-2

O Homem das Mil Faces

Graças à sua habilidade como ator e maquiador, e um dom natural para transformar-se em figuras grotescas e repugnantes, para em seguida vestir suas criações com uma tocante humanidade, Lon Chaney ganhou o respeito e a admiração de todos que tiveram a sorte de trabalhar com ele. Norma Desmond dizia que em sua época eles não precisavam de diálogos porque tinham rostos. E Lon Chaney, mesmo com o rosto coberto por toneladas de próteses e maquiagem, se via muitas vezes limitado a contar histórias apenas com os olhos. Como ele conseguia transmitir tanta emoção e profundidade de sentimentos com pouco mais de um olhar é o testemunho mais poderoso de sua dedicação e talento.

Em 1917, Chaney era um proeminente ator, mas seu salário na Universal não refletia o seu status. Durante uma negociação por um aumento, ele ouviu do executivo do estúdio, William Sistrom a frase: “Você nunca vai valer mais do que cem dólares por semana”. Foi o bastante para que ele deixasse o estúdio. O primeiro ano foi difícil, mas em 1918, graças à sua atuação em um filme de William S. Hart chamado “Riddle Gawne”, os talentos de Chaney como ator foram reconhecidos pela indústria.

De volta à Universal, Chaney foi integrado ao time de atores composto por Dorothy Phillips e William Stowell, e juntos estrelaram “The Piper’s Price”. Ao grupo, juntou-se mais tarde Claire DuBrey, e tão bem sucedidos foram os primeiros filmes que eles estrelaram que em dois anos a Universal produziu cerca de 14 produções nas quais eles se alternavam nos papéis principais, quase todos dirigidos por Joe De Grasse ou por sua esposa Ida May Park, grandes amigos de Chaney na Universal. Nesse período, Chaney abandonou a trupe para filmar “Ridlle Gawne” e “The Kaiser, Beast of Berlin”. O último filme que fizeram juntos foi “Paid in Advance”, de 1919, por conta da morte trágica de William Stowell em uma colisão de trens durante uma viagem à África em que explorava locações para um novo filme. Muitos desses filmes hoje estão perdidos, alguns ainda existem em cópias deterioradas em coleções particulares ou arquivos de cinematecas.

Em 1919, Chaney teve uma atuação magistral como o personagem “The Frog” em “The Miracle Man”, que demonstrou não apenas o seu talento como ator, mas também o seu talento como mestre da maquiagem. O sucesso comercial e de crítica, colocou Chaney no mapa dos maiores atores da época. Ele continuaria a demonstrar ambos os talentos nos filmes seguintes, que alternavam tramas de crime e aventura, como “The Penalty”, onde viveu um gansgter. Chaney atuaria em dez filmes dirigidos por Tod Browning (que mais tarde dirigiria o clássico “Drácula”, com Bela Lugosi), sempre interpretando personagens desfigurados ou mutilados, dos quais o mais famoso é sem dúvida “O Monstro do Circo” (The Unknown, de 1927).

the-unknown-1

“O Monstro do Circo” é de longe o mais intenso e demente dos filmes dirigidos por Browning, no qual Chaney interpreta Alonzo, um atirador de facas sem braços que esconde um segredo e se apaixona por sua colega de picadeiro vivida pela então novata Joan Crawford. A atriz sempre dizia que muito do que ela aprendeu sobre atuar, devia à sua parceria com Chaney neste filme, apenas de observá-lo atuar.

London-After-Midnight-3

Outro filme importante de Browning estrelado por Chaney foi “London After Midnight”, produzido pela Metro em 1927 e considerado hoje como um dos mais lendários filmes perdidos – destruído durante um incêndio em um depósito da MGM em 1967. Na história, uma trama policial com toques de horror fantasmagórico, Chaney interpreta um inspetor da Scotland Yard que investiga a morte de um milionário, e debaixo de uma maquiagem extraordinária, ele também interpreta o vilão do filme, Edward C. Burke, o “vampiro”. Sobre o filme, mais tarde ele seria refilmado por Tod Browning em 1935 como “Mark of the Vampire”, com Lionel Barrymore e Bela Lugosi.

phantom-of-the-opera-5Em 1923, viria a consagração ao interpretar Quasimodo em “O Corcunda de Notre Dame”, adaptação da novela de Victor Hugo, dirigida por Wallace Worsley e produzida por Carl Laemmle e Irving Thalberg. Além de se tornar o grande sucesso da Universal naquela temporada, arrecadando mais de três milhões de dólares, o filme é notável pelos cenários que reproduzem a Paris do século XV assim como a estupenda atuação de Chaney e a maquiagem grotesca que ele mesmo desenvolveu para o personagem. O sucesso do filme animou a Universal a investir naquele novo filão cinematográfico – que viria a se tornar a marca do estúdio durante os anos 20 e 30 – o filme de horror, e novamente Chaney estrelaria em uma adaptação de um clássico da literatura. Ele viveu Erik, o Fantasma da Opera House de Paris, em “O Fantasma da Ópera”, de 1925, baseado no romance gótico de Gastón Leroux. Dirigido por Rupert Julian, entre os vários méritos cinematográficos da adaptação, está a assustadora maquiagem criada pelo ator, uma das mais grotescas e deformadas caracterizações do cinema.

Em 1924, Chaney estrelaria “Lágrimas do Palhaço” (He Who Gets Slapped), uma vigorosa e dramática adaptação da peça russa de Leonid Andreyev, famosa por vários motivos. Primeiro por ter sido a primeira obra produzida pelo recém-criado estúdio Metro-Goldwyn-Mayer e o primeiro a trazer o leão Léo como a mascote oficial da MGM, desde que surgiu como logo da Goldwyn-Pictures Corporation em 1917, muito antes da fusão dos estúdios. Segundo, o filme marcou a carreira do diretor Victor Seastroms (Victor Sjöström), diretor sueco que faria grandes filmes em Hollywood como “A Letra Escarlate” e “O Vento”, ambos com Lillian Gish, além de lançar ao estrelato os jovens Norma Shearer e John Gilbert. No filme, Chaney interpreta um cientista, Paul Beaumont, que durante anos se dedicou a pesquisas sobre a origem da humanidade. Quando sua pesquisa finalmente se completa, seus documentos são roubados e ele é traído pela esposa e humilhado por seu melhor amigo, que publica suas pesquisas como se fossem de sua autoria. Anos mais tarde, Paul atua como “Ele”, um palhaço de circo e seu ato consiste em ser humilhado e espancado pelos outros palhaços para divertimento do público. O título original vem de seu nome artístico, “He Who Gets Slapped” (algo como “aquele que recebe a palmada”). O destino fará com que Ele se apaixone pela filha do dono do circo (Norma Shearer) e trará a oportunidade de vingança ao recolocá-lo frente a frente com o homem que desgraçou sua vida.

Anita-Page-Lon-Chaney

O talento de Chaney não se limitava às suas grandes atuações físicas e maquiagem que criava para o cinema. Diziam que ele também era um exímio dançarino, cantor e comediante, embora muitos não imaginassem o surpreendente alcance de sua voz de barítono nem sua afiada veia cômica. Chaney vivia afastado da mídia, mantendo sua vida pessoal o mais protegida possível dos tablóides e colunas de fofocas de Hollywood. Raramente saía para promover seus filmes. Seus últimos anos de carreira foram sob contrato de Metro (1925-1930), e no período o grande destaque ficou com “Tell it to Marines”, de 1926, considerado por Chaney um de seus filmes favoritos em que atuou. Chaney ganhou ao longo da carreira o respeito e a admiração dos colegas de profissão, tendo ajudado muitos aspirantes a ator ou atriz a iniciarem as carreiras. Ele gostava de ensinar sua técnica e de compartilhar sua experiência com os demais membros do elenco e da equipe técnica dos filmes em que atuava.

laugh-clown-laugh-1Em “Laugh, Clown, Laugh”, de 1928, Chaney interpreta Tito, um palhaço de um circo itinerante que encontra uma criança abandonada e a cria como sua filha. Anos mais tarde, com Simonetta já crescida, Tito descobre que está apaixonado por ela, e sua melancolia só piora com a possibilidade de vê-la casada com o jovem Luigi. O filme se baseia em uma peça estrelada por Lionel Barrymore em 1923, na Broadway, e sobreviveu aos nossos dias em uma cópia incompleta. A MGM adiou o lançamento do filme por alguns anos para evitar comparações com o filme de 1924 da Universal “He Who Gets Slapped”, no qual Chaney também viveu um palhaço de circo. O drama de um pai apaixonado por sua filha adotiva também era um tema delicado para ser exposto em um filme, e este poderia ter sido um desastre não fosse a atuação magistral de Chaney. Mesmo assim, temendo a reação do público, a Metro ordenou que dois finais diferentes fossem filmados: Em um, o personagem sofre uma histeria emocional e morre após uma queda. No segundo, ele sobrevive e vê os jovens namorados se casarem.

laugh-clown-laugh-2

No papel de Simonetta, Loreta Young, aos 14 anos, conseguiu o seu primeiro papel de destaque no cinema. Mais tarde ela reconheceria que a ajuda e a dedicação de Chaney naquele filme foram fundamentais para ela, protegendo-a da dureza do diretor Herbert Brenon nos sets de filmagem: “Eu estarei para sempre em dívida com aquele homem sensível e doce até eu morrer”.

The-Unholy-Three-1930-posterDurante as filmagens de “Thunder”, no inverno de 1929, Chaney teve pneumonia. Naquele mesmo ano, ele foi diagnosticado com câncer no pulmão. A neve artificial utilizada nas filmagens causou uma gravíssima infecção no ator, e a despeito dos tratamentos a que foi submetido, sua condição física se debilitou rapidamente. Logo depois de concluir as filmagens de “The Unholy Three”, uma refilmagem de um de seus filmes anteriores (1925), Chaney morreria de hemorragia. Em ambos os filmes, baseados na novela de Clarence Aaron “Tod” Robbins, Chaney interpretou o Professor Echo, um ventríloquo que reúne os colegas para cometer crimes. A produção de 1930, porém, além de marcar o fim de uma carreira magnífica, ficou conhecido também por ter sido o único “talkie” estrelado por Lon Chaney. A sua morte prematura aos 47 anos foi profundamente lamentada pelos amigos, pelos colegas de profissão e pelos fãs. Para muitos, Chaney era mais do que um grande ator, era uma inspiração e um modelo de caráter em um meio tão competitivo e cruel quanto é a indústria cinematográfica norte-americana.

Lon-Chaney-1

“Eu queria lembrar as pessoas de que os tipos mais submissos da humanidade podem ter dentro de si a capacidade de auto-sacrifício supremo”, escreveria o ator em um artigo autobiográfico publicado em 1925 na revista Film: “O anão ou o mendigo disforme das ruas, podem ter os mais nobres ideais. A maioria dos meus papéis desde em O Corcunda, O Fantasma da Ópera, O Palhaço, e outros, carregam o tema do auto-sacrifício ou da renúncia. São estas as histórias que eu desejo representar.”

Certa vez, o célebre autor de ficção-científica Ray Bradbury comentou sobre Lon Chaney: “Ele foi alguém que atuava sobre as nossas psiques. De alguma forma, ele penetrava nas sombras dentro de nós e era capaz de expor alguns de nossos medos mais secretos e mostrá-los na tela. A história de Lon Chaney é a história dos amores não-correspondidos. Ele expõe aquela parte de você que está escondida, porque você tem medo de que não é amado, medo de que nunca será amado, e medo de que exista alguma parte em você que é tão grotesca que o mundo irá se afastar de você.”

Ao longo de 18 anos, Chaney atuou em 161 filmes e dirigiu 6. Seu filho Creighton mudou o nome para Lon Chaney Jr. em homenagem ao pai, e obteve uma razoável carreira cinematográfica, embora seja mais lembrado pelo filme “O Lobisomem” (The Wolf Man), de 1941. Em 1957, Lon Chaney foi retratado no filme “The Man of a Thousand Faces”, pelo ator James Cagney.

Filmes:

The Honor of the Family (1912) (uncredited)
The Ways of Fate (1913)
Shon the Piper (1913)
The Blood Red Tape of Charity (1913)
The Restless Spirit (1913) (uncredited)
Poor Jake’s Demise (1913)
The Sea Urchin (1913)
The Trap (1913)
Almost an Actress (1913)
An Elephant on His Hands (1913)
Back to Life (1913)
Red Margaret, Moonshiner (1913)
Bloodhounds of the North (1913)
The Lie (1914)
The Honor of the Mounted (1914)
Remember Mary Magdelen (1914)
Discord and Harmony (1914)
The Menace to Carlotta (1914)
The Embezzler (1914)
The Lamb, the Woman, the Wolf (1914)
The End of the Feud (1914)
The Tragedy of Whispering Creek (1914)
The Unlawful Trade (1914)
Heartstrings (1914)
The Forbidden Room (1914)
The Old Cobbler (1914)
The Hopes of Blind Alley (1914)
A Ranch Romance (1914)
Her Grave Mistake (1914)
By the Sun’s Rays (1914)
The Oubliette (1914)
A Miner’s Romance (1914)
Her Bounty (1914)
The Higher Law (1914)
Richelieu (1914)
The Pipes of Pan (1914)
Virtue Its Own Reward (1914)
Her Life Story (1914)
Lights and Shadows (1914)
The Lion, the Lamb, and the Man (1914)
A Night of Thrills (1914)
Her Escape (1914)
The Sin of Olga Brandt (1915)
Star of the Sea (1915)
The Small Town Girl (1915)
The Measure of a Man (1915)
The Threads of Fate (1915)
When the Gods Played a Badger Game (1915)
Such is Life (1915)
Where the Forest Ends (1915)
Outside the Gates (1915)
All for Peggy (1915)
The Desert Breed (1915)
Maid of the Mist (1915)
The Grind (1915)
The Girl of the Night (1915)
The Stool Pigeon (1915)
For Cash (1915)
An Idyll of the Hills (1915)
The Stronger Mind (1915)
The Oyster Dredger (1915)
Steady Company (1915)
The Violin Maker (1915)
The Trust (1915)
Bound on the Wheel (1915)
Mountain Justice (1915)
Quits (1915)
The Chimney’s Secret (1915)
The Pine’s Revenge (1915)
The Fascination of the Fleur de Lis (1915)
Alas and Alack (1915)
A Mother’s Atonement (1915)
Lon of Lone Mountain (1915)
The Millionaire Paupers (1915)
Under a Shadow (1915)
Father and the Boys (1915)
Stronger Than Death (1915)
Dolly’s Scoop (1916)
The Grip of Jealousy (1916)
Tangled Hearts (1916)
The Gilded Spider (1916)
Bobbie of the Ballet (1916)
The Grasp of Greed (1916)
The Mark of Cain (1916)
If My Country Should Call (1916)
Felix on the Job (1916)
The Place Beyond the Winds (1916)
Accusing Evidence (1916)
The Price of Silence (1916)
The Piper’s Price (1917)
Hell Morgan’s Girl (1917)
The Mask of Love (1917)
The Girl in the Checkered Coat (1917)
The Flashlight (1917)
A Doll’s House (1917)
Fires of Rebellion (1917)
The Rescue (filme) (1917)
Pay Me (1917)
Triumph (filme) (1917)
The Empty Gun (1917)
Anything Once (1917)
The Scarlet Car (1917)
The Grand Passion (1918)
Broadway Love (1918)
The Kaiser, the Beast of Berlin (1918)
Fast Company (1918)
A Broadway Scandal (1918)
Riddle Gawne (1918)
That Devil Bateese (1918)
The Talk of the Town (1918) (1918)
Danger–Go Slow (1918)
The Wicked Darling (1919)
The False Faces (1919)
A Man’s Country (1919)
Paid in Advance (1919)
The Miracle Man (1919)
When Bearcat Went Dry (1919)
Victory (1919)
Daredevil Jack (1920)
Treasure Island (1920)
The Gift Supreme (1920)
Nomads of the North (1920)
The Penalty (1920)
Outside the Law (1921)
For Those We Love (1921)
Bits of Life (1921)
The Ace of Hearts (1921)
The Trap (1922)
Voices of the City (1922)
Flesh and Blood (1922)
The Light in the Dark (1922)
Oliver Twist (1922) (1922)
Shadows (1922)
Quincy Adams Sawyer (1922)
A Blind Bargain (1922)
All the Brothers Were Valiant (1923)
While Paris Sleeps (1923)
The Shock (1923)
The Hunchback of Notre Dame (1923)
The Next Corner” (1924)
He Who Gets Slapped (1924)
The Monster (1925)
The Unholy Three (1925)
The Phantom of the Opera (1925) (1925)
The Tower of Lies (1925)
The Blackbird (1926)
The Road to Mandalay (1926)
Tell It to the Marines (1926)
Mr. Wu (1927)
The Unknown (1927)
Mockery (1927)
London After Midnight (filme) (1927)
The Big City (1928)
Laugh, Clown, Laugh (1928)
While the City Sleeps (1928)
West of Zanzibar (1928)
Where East is East (1929)
Thunder (1929)
The Unholy Three (1930)

Tribute:

Galeria de Imagens:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: