Filmes: Agente Secreto (1936)

AGENTE SECRETO
Título Original: Secret Agent
Ano: 1936
País: Inglaterra
Duração: 86 min.
Gênero: Suspense/Policial
Direção: Alfred Hitchcock
Elenco: John Gielgud, Madeleine Carroll, Peter Lorre, Percy Marmont, Robert Young, Florence Kahn, Charles Carson, Lilli Palmer.
Sinopse:
Durante a Segunda Guerra, soldado britânico descobre que uma agência do governo forjou sua morte e trocou seu nome. Agora ele será enviado para uma operação especial: viajar para a Suíça e matar um agente alemão. Para levar a cabo a missão, ele é ajudado por uma agente novata e um assassino profissional.

Produzido na fase inglesa do mestre do suspense, não está cotado entre os grandes exemplares do período, como “Os 39 Degraus” e “O Homem que Sabia Demais”, mas já demonstra o talento do cineasta na condução do suspense e na criação do clima de seus filmes, além de boas cenas de ação e pelo menos uma cena realmente engenhosa, no final.

Um filme que já antecipa o talento de um gênio das telas
Apesar da mistura inadequada de gêneros (romance, espionagem, humor sofisticado), o filme também serveria de laboratório para as obras-primas que o cineasta faria duas décadas depois, com resultados superiores, em “Intriga Internacional” e “Ladrão de Casaca”. A despeito de seu início inusitado e até certo ponto ridículo, no qual John Gielgud e Madeline Carroll são dois espiões novatos à caça de um agente alemão com a ajuda de um divertido Peter Lorre no papel de mexicano, não causa muito espanto atuações tão fracas. Era fato de que a Lorre, na época em um momento ruim de sua carreira tumultuada mas de toda forma brilhante, tenha sido forçadamente imposta uma atuação mais cômica por Hithcock (e que acabou sendo explorada em outros de seus trabalhos em Hollywood), para completar o filme de forma satisfatória.

O enredo por sua vez é baseado frouxamente em uma história de Somerset Maugham transposta para o teatro por Campbell Dixon, e em seguida, adaptada por Charles Bennett, um dos favoritos de Hitchcock. Por melhores que sejam os talentos envolvidos, diante de tantas adaptações, até mesmo os melhores originais resultam em trabalhos apenas medianos. Por todo o filme, o grande mote é o romance entre os personagens de Gielgud e Carroll e a consciência que os atormenta, de que serão ou não capazes de cumprir a missão que lhes foi concedida. Além disso, pouco importava para o cineasta a motivação de seus personagens, desde que se cumprissem as premissas que ele imaginava para seus filmes.

O roteiro e a linha geral da história não são dos melhores aos quais Hitchcock teve acesso em toda a sua carreira, mas são bastante ricos em relação a algumas das parcelas com que ele trabalhou em seu início de carreira, e o diretor desenvolve a comédia, o suspense e o drama humano economicamente e afetivamente, se não totalmente. Seu trabalho com a câmera é, naturalmente, bom, mas não tão experimental ou interessante como muitos dos filmes anteriores e posteriores de Hitchcock, principalmente se compararmos com os que dirigiu anteriormente, como “Sabotage” ou “39 Steps”.

Um bom e divertido thriller de espionagem de um mestre do suspense
Alfred Hitchcock fazia filmes na Inglaterra desde 1922, mas teve seu primeiro sucesso internacional com a primeira versão de “The Man Who Knew Too Much”, de 1934. Seu próximo filme, “The 39 Steps”, estabeleceu padrões para a sua filmografia, como os temas do inocente injustamente acusado e perseguido e da heroína loira clássica (que esconde um vulcão sob uma fachada aparentemente glacial), aos quais Hitchcock retornaria ao longo de sua carreira. Hitchcock tinha convencido o grande ator dos palcos John Gielgud a assumir o papel principal em “Secret Agent” como se este fosse um Hamlet moderno. Mas Gielgud acabou odiando seu personagem pelo simples fato de que Hitchcock fez o vilão do filme muito mais charmoso e interessante do que o herói vivido por ele. Gielgud também se ressentiu com os mimos que o diretor dispensava à mocinha Madeleine Carroll e apontasse demais a câmera na direção de sua personagem. Porém, o ator admirava muito o estilo obsessivo de Hitchcock em filmar.

Sir John Gielgud conquistou uma carreira de grande longevidade e respeito, tanto nos palcos como no cinema, e tornou-se após a morte de seus contemporâneos o último elo de sobrevivência para uma era monumental de atuação para o teatro britânico, que incluía Sir Lawrence Olivier, Sir Michael Redgrave e Sir Ralph Richardson. Gielgud nasceu em 1904 e fez sua primeira apresentação nos palcos aos 10 anos (cantando “Soup of the Evening, Beautiful Soup”) como a Tartaruga em uma produção da escola para “Alice no País das Maravilhas”). Sua primeira aparição nos palcos de Londres foi em 1921, sua primeira transmissão de rádio em 1923 e seu primeiro filme em 1924. Aos 78 anos de idade, ele ganhou um Oscar como o mordomo na comédia mordaz “Arthur”, estrelada por Dudley Moore. Gielgud fez poucos filmes em sua juventude: “É claro que eu recebia mais dinheiro do que no teatro, mas eu tinha a sensação de que ninguém pensou que eu era suficientemente bonito para ser bem sucedido”. Ele não ligava para atuar no cinema, acreditando que o diretor, e não o ator, criasse o personagem. As primeiras filmagens foram se sucedendo, mas ele achava difícil moldar uma performance com as longas esperas de bastidores e tantas cenas filmadas fora de seqüência. Quando ele estava filmando o “Agente Secreto” durante o dia, à noite ele estava no palco em “Romeu e Julieta”, com Laurence Olivier. Sua carreira no cinema não decolou até ele chegar aos 65 anos, embora tenha até então aparecido em filmes ocasionalmente. A demanda ficou menos extenuante e mesmo aos 90 anos o ator continuou atuando. Seu último filme foi aos 96 anos.

Hitchcock aproveita bem a localidade suíça em “Secret Agent”, incorporando os Alpes e uma fábrica de chocolate na trama. Madeleine Carroll vive a heroína em seu segundo filme e também o último para Hitchcock. Posteriormente, ela partiu da Inglaterra para uma carreira breve em Hollywood. O excelente elenco inclui o ator americano Robert Young e o alemão Peter Lorre. Lorre, filho de um rabino, se tornou uma estrela internacional como o assassino de crianças em “M, o Vampiro de Dusseldorf”, mas fugiu da Alemanha em 1933 fuzindo dos nazistas. Gielgud escreveu certa vez: “Em ‘Secret Agent’ eu atuei com Peter Lorre, um ator alemão muito marcante que atuou em “M” de Fritz Lang Ele era viciado em morfina e um especialista em roubar cenas, adicionando uma mistura de espontaneidade e intuição”, o que para um ator tão disciplinado como Gielgud era quase imcompreensível. O personagem foi construído para Lorre (ele atuou na versão original de “The Man Who Knew Too Much” em 1934) e de certa forma, ele representa o lado negro do herói. A verdade é que Ashenden não é um herói muito arrojado, e isso para Gielgud facilitou as coisas. Hitchcock não tem nenhuma aparição surpresa no filme, então não se preocupe em procurar por ele.

”Secret Agent” foi baseado em duas das sete histórias sobre Ashenden escritas por Somerset Maugham, “The Traitor” and “The Hairless Mexican”” e o romance foi tirado de uma peça baseada nas histórias de Campbell Dixon. Maugham foi um agente secreto por cerca de um ano em 1915-1916, trabalhando principalmente como um intermediário. Não era incomum para os escritores e artistas serem recrutados pelo serviço secreto britânico na época. As histórias de Ashenden foram baseados em casos e pessoas reais. Supostamente, Winston Churchill aconselhou Maugham que queimasee outras 14 histórias, alertando-o de que violou a Lei de Segredos Oficiais.

”Secret Agent” não foi muito admirado na época, mas Ashenden influenciou muito os romances de Ian Fleming sobre James Bond. “Secret Agent” é relembrado com muito menos freqüência do que outros filmes de Hitchcock nos anos 30, como “Os 39 Degraus” e “A Dama Oculta”. Este não é um dos grandes filmes de Hitchcock, mas é fascinante, seja por conta de podermos assistir uma das raras atuações de Gielgud em sua juventude, seja por conta de Peter Lorre, seja pelo estilo distinto e já tão evidente de um diretor ainda em seus primeiros trabalhos.

IMDb: http://www.imdb.com/title/tt0028231/

Filme Completo Legendado: Assista no YouTube

Galeria de Imagens:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: