Filmes: A Felicidade não se Compra (1946)

A FELICIDADE NÃO SE COMPRA
Título Original: It’s a Wonderful Life
Origem: Estados Unidos
Ano: 1946
Duração: 130 min.
Direção: Frank Capra.
Elenco: James Stewart, Donna Reed, Lionel Barrymore, Thomas Mitchell, Henry Travers, Gloria Grahame, Beulah Bondi, Frank Fayden, Ward Bond, H.B. Warner.  
Sinopse:
Na véspera de Natal, George Bailey está à beira do suicídio quando é salvo por um anjo da guarda, em missão para ganhar suas asas. Morador de uma pequena cidade, Bailey é daqueles que sempre pensou primeiro no próximo e sacrificou seus sonhos em benefício de outros. Agora está desiludido. Mas o anjo Clarence, numa tentativa de ajudá-lo para vida, mostra-lhe como a cidade seria diferente se ele não tivesse nascido.

Fantasia dramática em tom de fábula, comovente e com final edificante, e que foge às comédias otimistas que Frank Capra dirigiu nos anos 30 e 40. O filme foi incompreendido na época de seu lançamento, levando à falência a produtora de Capra, mas ganhou ao longo do tempo, o status de clássico que hoje ostenta.

Este é um filme maravilhoso

Parafraseando o título original, podemos dizer que há filmes que ficaram na história do cinema não só como clássicos indestrutíveis, mas também como retratos de uma época em que valores como honestidade, respeito e solidariedade ao próximo eram regras sociais invariáveis. Tais filmes mostravam a vitória desses ideais sobre o sistema corrupto, oportunista e ganancioso. E nenhum outro cineasta americano soube retratar o tema com tamanha competência, grandiosidade e emoção como Frank Capra.

Responsável por arrastar multidões aos cinemas nos anos seguintes à Grande Depressão, seus filmes populistas, otimistas e com finais felizes ajudaram a sociedade a enfrentar os anos de recessão e o New Deal de Roosevelt. Como Gary Cooper em “Adorável vagabundo” ou o próprio James Stewart em “A Mulher Faz o Homem”, novamente Capra se une a Stewart para narrar uma história que se tornou, devido às infinitas reapresentações que vem tendo ao longo das décadas, sempre na época do Natal, uma verdadeira instituição americana. Não há pelo menos uma emissora de TV nos EUA, ou mesmo ao redor do planeta, que não encaixe “A Felicidade Não se Compra” à sua grade de programação natalina.

Foi assim, graças à TV, que a comédia dramática de Frank Capra começou a ser cultuada e até hoje inspira diretores como Jon Turtaub ou Frank Darabont. Com sua narrativa revolucionária para a época, “A Felicidade Não se Compra” foi fracasso de público, levou à falência sua produtora, a Libert Films, e foi alvo de críticas negativas, mas os anos fizeram jus à criatividade com que Capra narra a história de George Bailey, um homem comum, que durante toda a vida se sacrificou para o bem de outras pessoas, desde o irmão até o mais humilde cliente da corretora que herdou do pai na cidadezinha de Bedford Falls. Depois de viver abdicando de seus sonhos, na véspera do Natal, George se vê arruinado e pensa em suicídio. Ele é socorrido por um anjo que lhe mostra como seria ruim a vida de todos naquela cidade se ele nunca tivesse existido.

Não há como não observar a originalidade com que Capra introduz a narrativa, mostrando a conversa entre dois anjos no céu e fazendo uso do flashback – uma técnica até então muito pouco utilizada – para mostrar passagens importantes da vida do personagem de Stewart que mais tarde farão um sentido absurdo na seqüência de acontecimentos que envolverão a realidade alternativa proposta pelo anjo Clarence. Em meio a cenas memoráveis como aquela em que George Bailey finge enlaçar a lua para dá-la de presente à futura esposa vivida por Donna Reed, “A Felicidade Não se Compra” possui um desfecho memorável, ainda que previsível, mas que continua capaz de emocionar qualquer espectador até as lágrimas, mesmo que ele continue vendo e revendo esse filme imortal todo final de ano.

Há que se destacar ainda o excelente elenco, onde não apenas James Stewart se sobressai com o ar de bom moço que marcaria toda a sua carreira, mas um punhado de coadjuvantes extraordinários, onde o mais surpreendente é ver o veterano Lionel Barrymore no papel do Sr. Potter, um dos vilões mais terríveis que o Cinema já mostrou, muito diferente do pai de família que interpretou quase uma década antes em outro filme de Capra também estrelado por James Stewart, “Do Mundo Nada se Leva”.

“A Felicidade Não se Compra” é uma prova que grandes histórias vivem para sempre. A magia captada pelas lentes de Capra permaneceu intacta durante todas essas décadas.

IMDb: http://www.imdb.com/title/tt0038650/

Trailer:

Link para Download: A Felicidade Não se Compra Legendado AVI

Galeria de imagens:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: