A História do Cinema – Parte 10

A HISTÓRIA DO CINEMA – PARTE 10

1980-1989: BLOCKBUSTERS, PARTE II – AS SEQUÊNCIAS

Após ter se reiventado na década anterior, a indústria cinematográfica norte-americana é dominada, nos anos 80, pelos blockbusters e pelas sequelas. Se em 1975 e 1977, “Tubarão” e “Guerra nas Estrelas”, respectivamente, demonstraram que existia uma vasta camada de público jovem que se sentia atraída por grandes espetáculos cinematográficos, “O Império Contra-Ataca” e “O Retorno de Jedi” provaram que o público queria mais do mesmo. Assim, a produção cinematográfica revelou-se uma competição para ver quem conseguia produzir o maior espetáculo, gerar mais sequelas, vender mais merchandising e, claro, gerar mais dinheiro.

O excesso, imagem de marca da década de 80, revelou-se em filmes como “Os Caça-Fantasmas”, “Rambo”, “Máquina Mortífera”, “Duro de Matar” e “Batman”, todos eles sucessos de bilheteria. Filmes dirigidos aos mais velhos tornaram-se escassos numa indústria que se reorganizou à volta do Verão e do Natal, períodos em que os mais jovens não têm aulas.

Dominado pelos filmes-espetáculo, Hollywood viu o orçamento médio de um filme disparar vertiginosamente, grande parte gasto em publicidade e como forma de proteger os seus investimentos, os estúdios contratam realizadores com provas dadas, pagos a peso de ouro. Neste cenário, alguns atores, “ajudados” pelos seus agentes ou por prêmios conquistados anteriormente, conseguiram salários verdadeiramente astronômicos, com base em complexos contratos que incluíam também parte dos lucros das receitas de bilheteira, e ganham um poder nunca antes visto.

Muito embora alguns fracassos comerciais, Hollywood manteve, durante a década, uma economia invejável, sustentada pelos sucessos de bilheteira, pela massificação dos gravadores de vídeo VHS e da televisão por cabo, assim como pelo aumento do domínio dos filmes norte-americanos nos mercados internacionais.

Preocupados em criar um espetáculo ainda maior que o anterior os grandes estúdios sentiam-se relutantes em apostar em histórias pouco convencionais e a procura de filmes de qualidade começou a ser preenchida, já no final da década, por empresas independentes como a New Line e a Miramax. Este movimento independente, que viria a consolidar-se nos anos 90, teve como pilar importante o Festival de Sundance, organizado pela Fundação com o mesmo nome criada pelo ator Robert Redford em 1980 para ajudar jovens realizadores. O Festival tornou-se uma excelente mostra, revelando novos talentos e dando a conhecer filmes que dificilmente chegariam às salas de cinema. O mais importante filme revelado pelo Festival foi nessa época foi “Sexo, Mentiras e Videotapes”, de Steven Sorderberg, que em 1989 transformou o panorama cinematográfico independente norte-americano e o próprio evento, confirmando que o cinema independente conseguia produzir filmes de qualidade e atrair público às salas de cinema.

Fora dos Estados Unidos, a década de 80 revelou-se um período prolífero em filmes de qualidade, embora as produções norte-americanas dominassem os diversos mercados internacionais. Na Europa, realizadores como Bertrand Tavernier e Diane Kurys (França), Pedro Almodóvar (Espanha), Stephen Frears e Neil Jordan (Grã-Bertanha) são aclamados pelos seus filmes e aumentam o prestígio da produção europeia.

Na União Soviética, a década é um tempo de criatividade, resultado dos ventos de mudança que o país atravessa com a liderança de Mikhail Gorbachev, que não só permitiu uma maior integração com o Ocidente como permitiu uma liberdade de expressão até então inédita. O 5º Congresso dos realizadores soviéticos, em 1986, marca uma nova era de abertura e independência na produção cinematográfica do pais. Nikita Mikhalkov, Andrei Tarkovsky e Tergiz Abuladze são apenas alguns dos realizadores cujos trabalhos marcam esta nova era da cinematografia soviética.

Também atravessando um período de transformação, a China assiste a um rejuvenescimento cinematográfico, nomeadamente com a reabertura da Academia de Cinema de Beijing (fechada desde a Revolução Cultural nos anos 60) e cujos primeiros licenciados (Zhang Yimov, Chen Kaige, entre outros) dão um novo impulso ao cinema chinês e tornam-se internacionalmente conhecidos como a 5ª geração de realizadores chineses.

Cronologia dos principais acontecimentos ligados ao Cinema até 1989:
» 1980

– Ronald Reagan, ator de filmes de série B, é eleito Presidente dos Estados Unidos.
– Sherry Lansing torna-se a primeira mulher à frente de um dos grandes estúdios de Hollywood. Lansing ocupa o cargo de presidente da 20th Century Fox durante dois anos.
– O sindicato dos atores de cinema e televisão entra em greve durante 10 semanas. A greve, que provocou o encerramento da produção cinematográfica, custou mais de $400 milhões de dólares de prejuízo.
– O filme de Michael Cimino “O Portal do Paraíso”, o mais caro à época e com três horas de duração, é um fracasso comercial e de crítica. Como consequência, o estúdio responsável pelo filme, a United Artists, entra em crise financeira, sendo, mais tarde, adquirido pela Metro-Goldwyn-Mayer.
– A empresa britânica Rank Organization cessa a sua produção cinematográfica e concentra as suas atividades apenas na distribuição e exibição de filmes.
– Os arquivos da Cinemateca Francesa são parcialmente destruídos por um incêndio.
– A Índia cria um organismo para a promoção dos seus filmes.
» 1981
– A Metro-Goldwyn-Mayer finaliza a aquisição da United Artists.
– A Walt Disney expande o seu negócio à televisão por cabo com a criação do Disney Channel.
– O magnata do petróleo Marvin Davis adquire a 20th Centuty-Fox.
– O sindicato dos argumentistas entra em greve durante três meses.
– O Congresso Norte-Americano inicia inquéritos sobre o uso de drogas no mundo do espectáculo.
– “Na Época do Ragtime” do realizador tcheco Milos Forman, é o primeiro filme do ator James Cagney em 20 anos.
– Uma nova versão de “O Portal do Paraíso”, com menos um quarto de duração, é novamente um fracasso de bilheteria.
– A sala de espetáculos de Nova York, o Radio City Music Hall, exibe o filme “Napoleon”, realizado por Abel Gance em 1927, em três telões.
» 1982
– “E.T. – O Extra-Terrestre”, de Steven Spielberg, estreia neste ano e bate “Guerra nas Estrelas” como o filme com maior número de espectadores.
– A famosa empresa de refrigerantes Coca-Cola compra a Columbia Pictures.
– A porcentagem de filmes produzidos pelos grandes estúdios de Hollywood rodados fora dos Estados Unidos sobe 75% comparativamente com o ano anterior.
– O estúdio Columbia Pictures, o canal de televisão generalista CBS e a estação de televisão por cabo HBO criam a produtora Nova, que tornar-se-á, mais tarde, na Tri-Star Pictures.
– Embora apenas 10% dos lares norte-americanos tenham gravadores de vídeo VHS, a receita da venda de filmes neste formato é já uma importante fonte de receitas.
– O canal de televisão britânico Channel 4 inicia as suas emissões e torna-se num dos pilares da produção cinematográfica do país, produzindo filmes que exibe após a sua exploração em salas de cinema.
– O governo polonês aumenta a pressão política sobre alguns artistas, entre os quais o realizador Andrej Wajda, e dissolve o sindicato de atores.
» 1983
– Nos Estados Unidos, o preço médio de um bilhete de cinema ultrapassa os 3 dólares.
– A estreia do filme “O Retorno de Jedi”, que utiliza o sistema de som THX, desenvolvido pela empresa do realizador George Lucas, marca a aceitação do mercado a este sistema de som.
– Um incêndio de grandes proporções destrói parte dos cenários permanentes dos estúdios da Paramount Pictures, entre eles, o das ruas de Nova York.
– O ministro francês Jack Lang torna-se o grande responsável pelo reavivamento da produção cinematográfica francesa, nomeadamente pelas medidas que tornaram mais fácil o financiamento de filmes. A média de espectadores das salas de cinema francesas desce mais de 5% em relação ao ano anterior.
– Ingmar Bergman anuncia que abandonará a realização após a estreia do seu último filme, “Fanny e Alexander”. Bergman regressaria ao trabalho no ano seguinte, filmando para televisão.
– “Gandhi” torna-se o filme estrangeiro de maior sucesso na Índia.
» 1984
– O filme “Amadeus”, sobre a vida do compositor Wolfgang Amadeus Mozart, torna-se o grande vencedor da carimônia de entrega do Oscar, com oito indicações, incluindo a de Melhor Realização.
– Nos Estados Unidos, as queixas de violência excessiva nos filmes leva à criação de uma nova classificação (PG-13), que avisa que um filme pode ter conteúdos não aconselháveis a menores de 13 anos.
– O Supremo Tribunal Norte-Americano declara que a gravação de filmes para uso pessoal não viola as leis de direito de autor, o que dá novo fôlego ao mercado de gravadores de vídeo VHS.
– A Walt Disney cria a produtora Touchstone Pictures para a produção de filmes para um público mais adulto. “Splash –Uma Sereia em Minha Vida” é o primeiro filme da produtora e revela-se um grande sucesso de bilheteira e um jovem ator em ascensão chamado Tom Hanks.
– O governo francês agracia o ator norte-americano Jerry Lewis, considerando-o um gênio da comédia.
– França e a Walt Disney anunciam a construção de um parque temático em Paris.
– A produção cinematográfica italiana “resume-se” a 30 filmes neste ano, comparados com os 294 estreados em 1968.
» 1985
– Mais de 25% dos lares norte-americanos possuem um gravador de vídeo VHS.
– O magnata australiano dos meios de comunicação, Rupert Murdoch, compra a 20th Century Fox.
– Filmes colorizados por computador são exibidos pela primeira vez em televisão.
– O sucesso do filme “Procura-se Susan Desesperadamente” confirma a crescente importância dos filmes independentes.
– O personagem John Rambo, interpretada por Sylvester Stallone em “Rambo – Programado Para Matar”, torna-se um controverso símbolo militar e político quando do lançamento de sua sequência. O ator Sylvester Stallone também não perde tempo e aumenta a celeuma com o patriótico “Rocky IV”, lançado no mesmo ano.
– A indústria cinematográfica britânica lança a promoção “O Ano do Cinema Britânico”, uma tentativa de contrariar a grande redução de subsídios à indústria por parte do governo de Margareth Thatcher.
– A produtora britânica Goldcrest excede-se na produção de “Revolution”, que conta com a participação de Al Pacino – na altura um dos mais caros atores norte-americanos. O filme revela-se um desastre de bilheteria e leva a produtora à falência.
– O filme erótico “Emmanuelle” termina a sua carreira de mais de 10 anos de exibição na sala parisiense Triomphe.
– O 1º Festival Internacional de Cinema de Tóquio gera controvérsia devido à censura a um filme sobre o autor de direita Yuko Mishima, “Mishima – uma Vida em Quatro Capítulos”.
– O fim da ditadura no Brasil permite que temas sociais e políticos sejam abordados em filmes nacionais.
» 1986
– A atriz brasileira Fernanda Torres ganha a Palma de Ouro no Festival de Cannes por sua atuação no filme “Eu Sei que Vou te Amar”, de Arnaldo Jabor, mas dividiu o prêmio com a também premiada Barbara Sukowa.
– A estreia de “A Bela Adormecida”, da Disney, em formato VHS vende mais de 1 milhão de cópias nos Estados Unidos.
– O magnata das comunicações Ted Turner compra o catálogo de filmes da MGM/United Artists.
– O produtor David Puttman torna-se no primeiro britânico a dirigir um grande estúdio de Hollywood, a Columbia Pictures. Puttman abandona o posto um ano depois devido aos muitos conflitos com os colegas.
– A colorização de filmes exibidos em televisão torna-se um problema artístico, nomeadamente, quando o realizador John Huston protesta contra a colorização do seu filmes “Relíquia Macabra”.
– A personagem interpretada por Sigourney Weaver em “Aliens” ganha o apoio de muitas femininistas.
– A diferença salarial entre estrelas norte-americanas mantêm-se, com Sylvester Stallone ganhando $17 milhões de dólares por filme (o maior entre os homens) e Barbra Streisand liderando as atrizes mais bem pagas ao receber $5 milhões de dólares por filme.
– Por razões econômicas, a Thorn-EMI ve-se forçada a vender os seus interesses cinematográficos à Cannon Group, entre eles os famosos estúdios Elstree.
– O número de espectadores, na França, é apenas de 1.6 milhões.
» 1987
– O realizador italiano Bernardo Bertolucci se consagra na cerimônia de entrega do Oscar com seu filme “O Último Imperador”, vencedor em nove categorias, entre eles filme e direção
– Los Angeles sofre um violento tremor de terra que provoca a interrupção da produção cinematográfica.
– É posto à venda o primeiro número da versão norte-americana da revista francesa Premiere.
– O filme dinamarquês “A Festa de Babete” faz carreira internacional e conquista vários prêmios, incluindo o Oscar de Filme Estrangeiro.
– A personagem interpretada por Glenn Close em “Atração Fatal” gera controvérsia e provoca discussões sobre as relações entre homens e mulheres. Independente disso, o filme vai muito bem nas bilheterias.
– Em França, a crise cinematográfica agoniza-se com o fecho de cerca de 350 salas de cinema.
– A crise chega também à Dinamarca, que perde duas salas de cinema, em média, por mês.
» 1988
– De acordo com o recente “Ato de Preservação de Filmes”, o governo norte-americano deve designar 25 filmes por ano que devem conter um aviso se forem colorizados. O aviso referencia que os autores dos filmes não deram o seu consentimento para a utilização do processo.
– Nos Estados Unidos, o número de drive-ins desce para o seu valor mais baixo: 1500. No seu auge, existiam mais de 6.000 deste tipo de recintos.
– O número de filmes de terror produzidos em Hollywood duplica no espaço de 3 anos.
– Os argumentistas entram em greve por um período de seis meses, cujos custos são avaliados em $150 milhões de dólares.
– O filme “E.T. – O Extra-Terrestre” vende mais de 15 milhões de cópias VHS nos Estados Unidos.
– O Museu das Imagens em Movimento abre as suas portas em Londres.
– Os famosos estúdios britânicos Elstree são salvos, à última da hora, da demolição.
– Numa entrevista, o realizador francês Jean-Luc Godard, um dos mais conhecidos autores da Nouvelle Vague, declara que o “cinema está morto”.
– A atribuição do Urso de Ouro do Festival de Berlim ao filme “Red Sorghum” é o reconhecimento das qualidades da cinematografia chinesa.
– O filme “Little Woman”, sobre uma jovem alienada, marca os ventos de mudança da União Soviética, liderada por Mikhail Gorbachev. O filme é um sucesso internacional.
» 1989
– A Warner Communications funde-se com a Time, Inc. e criam a maior empresa mundial de entretenimento, a Time-Warner.
– A Columbia Pictures funde-se com a Tri-Star Pictures.
– A gigante japonesa Sony compra a Columbia Pictures e a Tri-Star Pictures à Coca-Cola por $3.4 bilhões de dólares e posteriormente funde-as à Guber-Peters Entertainment Company. Jon Peters e Peter Guber passam a chefiar a nova divisão cinematográfica da Sony.
– A indústria cinematográfica norte-americana reclama que a pirataria e as quotas de importação e distribuição internacionais lhe custam cerca de $1 bilhão de dólares por ano.
– “Bill e Ted – Uma Aventura Fantástica” é o primeiro filme do gênero “humor idiota” a ter sucesso junto do público, que se mantém até aos dias de hoje.
– A receita de mais de $8 milhões de dólares do filme “Roger & Me” é o valor mais alto conseguido por um documentário não-musical até então.
– Numa tentativa de reavivar o mercado norte-americano para os seus filmes, a indústria francesa cria o 1º Festival de Cinema Francês em Nova York.
– Realizadores sul-coreanos mostram o seu desagrado contra o domínio de filmes norte-americanos no país, soltando cobras em várias salas de cinema.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: