A História do Cinema – Prólogo

A HISTÓRIA DO CINEMA – PRÓLOGO

O NASCIMENTO DE UMA ARTE

Em 28 de dezembro de 1895, os irmãos Lumière apresentavam aos parisienses sua mais nova invenção: o cinema. É difícil imaginar que uma forma de arte e diversão que parece cada vez mais nova, mais ousada e mais high-tech já tenha completado mais de um século (117 anos para ser exato). E que século: duas guerras mundiais, mapas políticos que se alteraram incontáveis vezes, revoluções científicas, culturais, políticas, econômicas e tecnológicas, ideologias que surgiram tão rápido quanto desapareceram, impérios que desabaram e nações obscuras que se tornaram potências mundiais…

Nesse panorama sempre cambiante que vai de 1895 a este 2012 poucas coisas permaneceram tão fiéis ao espírito que lhes deu origem quanto o cinema. O espírito de aventura, de prazer, de inovação e de experimentação. E que foi preservado enquanto tudo mais que se refere ao cinema mudava: as técnicas, as concepções narrativas, a época das grandes estrelas e depois a época das “novas ondas”, o superespetáculo e a produção independente. E também o público, que foi crescendo e mudando junto com essa diversão que se tornou a preferida do século 20.

E esse público de incontáveis gerações certamente seria composto de pessoas muito diferentes, não tivessem elas conhecido o cinema. Nenhuma outra invenção foi capaz de abreviar distâncias com a mesma ferocidade que o artefato dos Lumière. Distâncias entre as décadas, entre os países, entre as culturas e seus representantes e, acima de tudo, entre a imaginação e a realidade. Nessa fronteira o cinema estabeleceu seu território; ali ele se excedeu e tornou-se uma arte distinta de todas as outras. Porque, quanto mais o cinema se aproxima da perfeição, mais ele pode nos levar a um estágio que esta humanidade que hoje habita o planeta nem sonharia conhecer: aquele estágio quase primitivo em que os sonhos são uma ferramenta para conhecer a verdade, em que a câmera vê aquilo que o olho não consegue enxergar.

Por tudo isso é que devemos celebrar a cada dia não só o advento mas a permanência do cinema como a máquina de sonhos mais perfeita já criada pelo homem, por mais que insistam no debate inconclusivo sobre a sua natureza (arte ou indústria) ou mudem os formatos em que os filmes são exibidos. Cinema será sempre cinema, seja na tela panorâmica de um multiplex ou nas telas de um monitor, de uma televisão, de um celular ou nas gigantescas telas de um Imax.

O CINEMA
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

Cinema (do grego: kinema “movimento”) inclui a técnica de projetar imagens para criar a impressão de movimento, bem como uma arte e a indústria cinematográfica. As obras cinematográficas (mais conhecidas como filmes) são produzidas através da gravação de imagens do mundo com câmeras, ou pela criação de imagens utilizando técnicas de animação ou efeitos visuais.

Os filmes são feitos de uma série de imagens individuais chamadas fotogramas. Quando essas imagens são projetadas de forma rápida e sucessiva, o espectador tem a ilusão de que está ocorrendo movimento. A cintilação entre os fotogramas não é percebida devido a um efeito conhecido como persistência da visão, pelo qual o olho humano retém uma imagem durante uma fração de segundo após a fonte ter sido removida. Os espectadores têm a ilusão de movimento devido a um efeito psicológico chamado movimento beta.

O cinema é um artefato cultural criado por determinadas culturas, que refletem as mesmas e, por sua vez, as afetam. O cinema é considerado uma importante forma de arte, uma fonte de entretenimento popular e um método poderoso para educar – ou doutrinar – os cidadãos. Os elementos visuais dão aos filmes um poder de comunicação universal. Alguns filmes se tornaram mundialmente populares ao usarem técnicas de dublagem ou legendas, que traduzem o diálogo.

A origem do nome “cinema” vem do fato de que o cinematógrafo, historicamente, foi o primeiro equipamento utilizado para o registro e exibição de filmes. Por metonímia, a palavra também pode se referir à sala de espetáculos onde são projetadas obras cinematográficas.

A partir de agora, viaje no túnel do tempo do Assim Era Hollywood através de mais de um século de história da sétima arte, conheça os detalhes sobre o nascimento do cinema, a sua evolução técnica e o seu crescimento até tornar-se uma das principais manifestações artísticas do século XX, os acontecimentos que mudaram os rumos da produção cinematográfica, e as pessoas que ajudaram a construir a magia do cinema, nesses especiais listados a seguir e divididos por períodos, englobando mais de 100 anos de história. Boa leitura e boa viagem!

A HISTÓRIA DO CINEMA (Links assim que os posts forem sendo pulicados):
PARTE I: 1830 A 1899 – Da descoberta da Fotografia às Imagens em Movimento
PARTE II: 1900 A 1909 – Os nickelodeons
PARTE III: 1910 A 1919 – O início da indústria cinematográfica e a influência da I Grande Guerra
PARTE IV: 1920 A 1929 – A era do sonoro
PARTE V: 1930 A 1939 – O “studio system”
PARTE VI: 1940 A 1949 – A influência da II Grande Guerra no panorama cinematográfico mundial
PARTE VII: 1950 A 1959 – A Nova Onda
PARTE VIII: 1960 A 1969 – O Fim da Censura
PARTE IX: 1970 A 1979 – O Blockbuster
PARTE X: 1980 A 1989 – Blockbusters, Parte II: As Sequelas
PARTE FINAL: 1990 A 1999 – Os Independentes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: