Arquivos Mensais: fevereiro \26\UTC 2012

A História do Cinema – Parte 6

A HISTÓRIA DO CINEMA: PARTE 6

A INFLUÊNCIA DA II GRANDE GUERRA NO PANORAMA CINEMATOGRÁFICO MUNDIAL

A 2ª Guerra Mundial é o grande acontecimento da década de 40 e está na origem da mudança do panorama cinematográfico mundial, refletindo-se no número de filmes produzidos e nos temas abordados.

Inevitavelmente, a Europa foi onde os efeitos do conflito mais se fizeram sentir: se por um lado grande parte dos países viram a sua produção diminuir drasticamente, outros, como a Alemanha e a União Soviética, chegaram a aumentar a sua produção. Devido ao regime vigente, a Alemanha manteve uma produção ativa com mais de 1000 filmes produzidos durante os anos em que Hitler esteve no poder, na sua maioria filmes de propaganda. Após a guerra e com a divisão da Alemanha, a produção igualmente se dividiu, refletindo visões artísticas diferentes. No caso soviético e com a entrada do país na guerra, em 1941, a produção cinematográfica centrou-se em documentários de propaganda, em filmes de entretenimento e dramas, como “Ivan, o Terrivel” (Parte I) de Sergei Eisentein.

Um dos reflexos do conflito foi o êxodo de pessoas para os Estados Unidos. A França não fugiu à regra e os realizadores que se mantiveram no país concentraram o seu trabalho em produções históricas ou alegóricas, destacando-se os trabalhos de Marcel Carné e Robert Bresson.

O pós-guerra na Europa é marcado pelas medidas contra o cinema americano, na tentativa de desenvolver as várias cinematografias nacionais. O melhor exemplo é a criação, na França, do Centre National de la Cinématographie (CNC), ainda hoje um importante pilar na indústria cinematográfica francesa.

Ao contrário da Europa, a produção cinematográfica americana do inicio da década é pujante e capaz de produzir filmes tão diversos como: “As Vinhas da Ira” (drama social), “Rebecca, a Mulher Inesquecível” (thriller), “Núpcias de Escândalo” (comédia) e “O Grande Ditador” (sátira). Com a entrada do país na guerra, Hollywood contribuiu também com a sua parte, quer através do recrutamento de atores e outros realizadores para a frente de batalha, quer com a produção de filmes de “propaganda”: recorde-se o trabalho do realizador Frank Capra para o exército e de filmes de ficção como “Mrs. Miniver”, “Since you Went Away”, “This is the Army”, “Thirty Seconds Over Tokyo” e, o melhor exemplo de todos, “Casablanca”.

O inicio da década é também marcada pela estreia do que é, hoje, considerado como o melhor filme de todos os tempos: “Cidadão Kane”. Escrito, realizado e interpretado por um jovem Orson Welles, o filme cedo se viu envolto em polêmica devido ao fato de relatar a história do magnata William Hearst, que tudo fez para impedir a distribuição do filme, acabando este por ser um fracasso de bilheteira.
Com o final da guerra avizinhava-se bons tempos para o cinema americano, tanto para mais que o ano de 1946 revelou-se o mais lucrativo até então. No entanto, um conjunto de fatores assombrou a indústria cinematográfica americana, nomeadamente: greves e inflação, que provocaram o aumento dos custos de produção, as restrições europeias à importação de filmes americanos; e o aparecimento da televisão. O resultado foi o declínio do número de espectadores de 90 milhões em 1948 para menos de 50 milhões dez anos mais tarde.

Paralelamente, os estúdios de Hollywood sofreram um rude golpe quando em 1948, por ordem do governo, se tiveram de desfazer das salas de cinema que detinham. Os estúdios ficaram, assim, sem forma de escoar diretamente os seus filmes (e controlar o mercado), passando a ficar sujeitos às exigências dos exibidores e dividir os lucros com estes.

O ano de 1948 ficaria ainda marcado pelo inicio do Comitê de Investigação de Atividades Anti-Americanas, que tinha por objetivo investigar supostas atividades subversivas e erradicar a presença comunista na América. Embora tenha investigado vários setores da sociedade, Hollywood foi o alvo preferencial do Comitê devido à sua alta visibilidade. As investigações levaram à suposta identificação de um vasto número de pessoas com ligações ao partido comunista, tendo estes sido banidos de Hollywood durante anos. Alguns, nomeadamente argumentistas, conseguiram trabalhar sob pseudônimos, mas a maioria ficou sem trabalho.

Cronologia dos Principais Acontecimentos Ligados ao Cinema, até 1949:
» 1940
– Os cinco maiores estúdios de Hollywood concordam em desistir da “venda cega”, prática que forçava os exibidores a comprar filmes que não tinham previamente assistido, e diminuir o aluguel em bloco para cinco filmes. Este acordo levou a que os exibidores possam recusar filmes B e como consequência os estúdios vão reduzindo aos poucos a produção deste tipo de filmes para se concentrarem na produção de filmes de qualidade.
– Inicia-se a produção de pequenos filmes musicais (soundies) que eram vistos em máquinas semelhantes a jukeboxes. Este tipo de filmes é produzido até 1946.
– “Rebecca”, o primeiro filme americano de Alfred Hitchcock, é um sucesso comercial e de critica, vencendo o Oscar de Melhor Realização.
– A pós a invasão nazista, o realizador francês Jean Renoir parte para Lisboa e depois para os Estados Unidos, ali permanecendo até ao final da guerra.
– Após uma produção regular de cerca de 15 filmes por ano durante a década de 20, o Brasil produz apenas um filme em 1940. O declínio deve-se a uma prolongada crise econômica.
» 1941
– À medida que a entrada dos Estados Unidos na 2ª Grande Guerra se torna cada vez mais evidente, os filmes de guerra tornam-se populares junto do público.
– Com a entrada dos Estados Unidos na guerra, cerca de 40.000 dos 240.000 trabalhadores da indústria cinematográfica entram para o exército.
– O produtor Samuel Goldwyn dá por terminada a sua ligação com a United Artists e começa a distribuir os seus filmes através da RKO Radio Pictures.
– Orson Welles estreia “Cidadão Kane”. Aclamado pelos críticos, o filme é um fracasso comercial principalmente devido à tentativa do magnata de imprensa William Hearst, no qual o filme se baseia, em impedir a sua distribuição.
– Ava Garner estreia-se no filme “H.M Pulham Esq.”, mas apenas viria a tornar-se uma estrela anos mais tarde.
– Estreia de “Casablanca”, um dos mais populares filmes de todos os tempos e que viria a ganhar 3 Oscars no ano seguinte (melhor filme, melhor realizador e melhor argumento).
– O governo americano cria o Gabinete de Informação de Guerra (Office of War Information) para coordenar a propaganda de guerra e os laços com Hollywood. Uma das suas práticas é a censura cinematográfica.
– Devido à guerra, Hollywood sofre restrições que vão afetar a rodagem e a estreia de filmes.
– Com o recrutamento de muitos das suas estrelas masculinas, Hollywood sente dificuldade em encontrar protagonistas para os seus filmes.
– Na Alemanha, o governo nazista nacionaliza a indústria cinematográfica.
» 1943
– Criada a Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood, atualmente conhecida como Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, responsável pelos prêmios Globo de Ouro, instituídos em 1944.
– Frank Capra estreia “Prelude to War”, o primeiro da série de documentários de guerra que realizou para o exército americano.
– Jane Russell estreia-se em “The Outlaw”, produzido e realizado por Howard Hughes. O filme, que realça os volumosos seios da atriz, esteve na base de uma árdua batalha entre o milionário e o gabinete de censura, o que dificultou a distribuição do filme.
» 1944
– Lauren Bacall estreia-se em “Uma Aventura na Martinica”, ao lado daquele que viria a ser seu marido, Humphrey Bogart.
– Pela primeira vez, a cerimônia de entrega dos Óscares deixa de ser uma festa privada e transforma-se num espectáculo de variedades e é transmitida pela rádio.
– É fundada, na Grã-Bretanha, a produtora e distribuidora Eagle-Lion Films.
– Pela primeira vez é transmitido um anúncio na televisão a um filme (The Miracle of Morgan’s creek).
– Alexander Korda vende a empresa London Films à United Artists.
– Entre 1944 e 1973, a produção cinematográfica espanhola é controlada pelo ministro da Cultura do General Franco, Luis Carrero Blanco.
» 1945
– No dia 15 de Agosto, os estúdios de Hollywood param a produção para celebrar o fim da II Guerra Mundial. No fim desse mês, terminam as restrições à distribuição do estoque de película.
» 1946
– Hollywood tem o seu ano mais rentável de todos, sustentado por um recorde de espectadores.
– A Universal funde-se com a International Pictures e passa a chamar-se Universal International.
– Com o pós-guerra, a produção cinematográfica japonesa começa a se recuperar e o número de espectadores duplica em relação aos anos que antecederam a guerra.
– É criado, na França, o Centre Nacional du Cinema Françoise, para regular a indústria cinematográfica.
– Tem lugar a primeira edição do Festival de Cinema de Cannes.
» 1947
– O Comité de Investigação de Atividades Anti-Americanas inicia as suas investigações sobre alegados comunistas em Hollywood.
– David O. Selznick termina a sua associação com a United Artists e começa a distribuir ele próprio os seus filmes.
– Elia Kazan inaugura, em Nova York, o Actor’s Studio. Sob a direção artística de Lee Strasberg, a escola de atores torna-se conhecida pela sua técnica de interpretação (conhecida como “o método”), e dela saem nomes como Marlon Brando, James Dean e Paul Newman.
– A Grã-Bretanha institui limites à importação de filmes americanos. Os produtores de Hollywood retaliam e os limites são levantados um ano depois.
– Com o pós-guerra, aumenta a produção de filmes fatalistas e de moral duvidosa, gênero que ficaria conhecido como film noir.
» 1948
– O Supremo Tribunal americano declara os cinco grandes estúdios de Hollywood culpados de práticas monopolistas e ordena que vendam as salas de cinema que detêm.
– Os Dez de Hollywood são acusados de desrespeito quando se recusam a cooperar com o Comité de Investigação de Atividades Anti-Americanas e são sentenciados a um ano de prisão, a pagarem uma multa de $1.000 dólares e entram para a lista negra de Hollywood.
– Como resultado de uma ação em tribunal, a Eastman Kodak é obrigada a abrir mão das patentes que detêm sobre o processamento de cor.
– O realizador italiano Vittorio de Sica estreia o clássico “Ladrões de Bicicletas”, exemplo máximo do neo-realismo italiano.
– A Grã-Bretanha, à semelhança de outros países europeus, impõe limites à quantidade de dinheiro que as empresas americanas podem retirar do país. Esta medida encoraja os estúdios americanos a investir parte dos seus lucros na produção cinematográfica local.
» 1949
– O espírito anti-comunista invade Hollywood com várias comissões para controlar e influenciar o dia-a-dia da indústria cinematográfica.
– Uma vez mais, os tribunais ordenam os estúdios a alienarem as salas de cinema que detêm.
– Marilyn Monroe posa nua para um calendário e faz sua estreia no último filme em que os irmãos Marx contracenam juntos (Love Happy).
– Elia Kazan estreia “Pinky”, um dos vários filmes de 1949 que abordam questões raciais.
– Para encorajar a produção nacional, o governo britânico cria o National Film Finance Corporation, que empresta dinheiro à industria cinematográfica.
– Os estúdios ingleses Ealing começam a ser conhecidos pelas suas comédias, entre elas “Kind Hearts and Coronets”, no qual Alec Guiness interpreta seis personagens.
– A Alemanha é oficialmente dividida, dando origem a duas indústrias cinematográficas distintas.
– Após muitos anos no estrangeiro, o realizador brasileiro Alberto Cavalcanti regressa ao seu país, onde vai dirigir a produtora Vera Cruz Filmes.

A História do Cinema – Parte 5

A HISTÓRIA DO CINEMA – PARTE 5

1930 – 1939: O “STUDIO SYSTEM”

Nos Estados Unidos, a década de 30 é marcada pelo domínio dos grandes estúdios de Hollywood, que anos antes tinham lutado contra o domínio da Motion Pictures Patents Company, sendo possível identificar estilos próprios: a Metro-Goldwyn-Mayer era conhecida pelas suas estrelas e filmes de qualidade, a “pobre” Columbia Pictures pelas comédias de Frank Capra e a Warner Bros. pelos seus dramas sociais e filmes de gangsters.

A década é também marcada pela utilização do som na sétima arte e que viria a transformar a indústria: os atores começaram a dar mais atenção à voz, os estúdios procuraram no teatro atores mais expressivos, os escritores foram obrigados a definir os personagens através de palavras e os escritores de cartões (intertítulos) ficaram no desemprego. Mas o som permitiu também o nascimento de um novo gênero: o musical, aparecendo, então, estrelas como Maurice Chevalier, Fred Astaire e Ginger Rogers.

O início da década de 30 é também marcado pela produção dos primeiros filmes a cores: o desenho animado da Walt Disney Pictures “Flowers and Trees”, de 1933, e o longa-metragem “Becky Sharp”, de 1935.

Em desenvolvimento desde a década de 1890, a tecnologia de filmes a cores teve o seu melhor exemplo com o épico “E o Vento Levou”. Produzido em 1939, o filme foi um dos muitos que se produziram durante o que é considerado o melhor ano da história da sétima arte. Outros filmes produzidos nesse ano: “A Mulher Faz o Homem”, “Ninotchka”, “O Mágico de Oz”, “Gunga Din”.

Na França, o trabalho de realizadores como Jean Renoir, Jean Vigo, René Clair e Marcel Carné refletem uma visão negra que antecipa a guerra que se avizinhava. Antes da guerra, a Alemanha produzia mais de 200 filmes por ano, onde se destacavam os trabalhos de Fritz Lang e G.B.Pabst. Após a ascensão de Hitler em 1933, a indústria cinematográfica alemã passa a ser controlada pelo Ministro da Propaganda, Joseph Goebbles, dando origem a verdadeiras homenagens ao fascismo, como o filme de Leni Riefenstahl “O Triunfo da Vontade”. Na Espanha, o cinema é controlado pela Companhia Industrial del Film Espanol e com a ascensão do ditador Franco, no final da década, os filmes passam para a mão do Estado. Na União Soviética, a produção é dominada por dramas, adaptações literárias e acontecimentos históricos, destacando-se o trabalho do realizador Sergei Eisenstein.

Cronologia dos Principais Acontecimentos Ligados ao Cinema, até 1939:
» 1930
– Greta Garbo interpreta o seu primeiro filme sonoro, “Anna Christie”, cujo slogan publicitário era: “Garbo Fala!”.
– “The Big House”, realizado por George Hill, é o primeiro melodrama passado numa prisão.
– O Presidente da Fox Film, William Fox, é forçado a vender o estúdio por $18 milhões de dólares depois de ter perdido a sua fortuna no crash da bolsa em 1929.
– A Itália estreia o seu primeiro filme sonoro, “La Canzone dell’ Amore”, realizado por Gennaro Righelli.
– “All Quiet on the Western Front” é banido na Alemanha devido à sua mensagem pacifista.
– No inicio de década, os estúdios Paramount Pictures, Warner Bros. e 20th Century Fox são os donos da maioria das salas de cinema dos Estados Unidos.
– Nasce o primeiro jornal diário dedicado exclusivamente à indústria cinematográfica: The Hollywood Reporter.
– Em Março de 1930, o Código de Produção é adotado pela indústria americana para reger a filmagem de cenas que abordem sexo, religião, violência e outros assuntos sensíveis.
» 1931
– Devido à grande depressão, o número médio de espectadores diminui nos EUA (de 90 milhões em 1930 para 60 milhões em 1933); os estúdios passam por tempos difíceis e as salas de cinema para atrair mais espectadores recorrem a expedientes como as sessões duplas.
– A RKO Radio Pictures adquire a empresa francesa Pathé.
– Os estúdios americanos, na tentativa de impedir o constante assédio às suas estrelas entre si, acordam em limitar essa prática.
– A Universal Pictures estreia “Dracula” e “Frankenstein”, interpretados por Bela Lugosi e Boris Karloff, respectivamente, e inicia o seu famoso ciclo de filmes de terror.
– A Warner Bros. inventa o filme de gangsters com a produção de “Alma do Lodo” e “O Inimigo Público”.
– O realizador francês Jean Renoir estreia o seu primeiro grande filme da década (“La Chienne”), um sucesso junto da critica, mas um desastre comercial.
– A Índia e o Japão produzem os seus primeiros filmes sonoros: “Alam Ara” e “Madamu to Nyobo”, respectivamente.
– Fritz Lang estreia o seu filme “M, o Vampiro de Dusseldorf”.
» 1932
– A Paramount deixa de ser dona dos estúdios Astoria em Nova York; os estúdios passam a ser um centro de produção independente.
– Com receio da concorrência da rádio, os exibidores pretendem que os estúdios impeçam as estrelas de cinema de aparecerem na rádio; alguns estúdios aceitam temporariamente o pedido.
– A Walt Disney estreia o primeiro desenho animado a cores, “Flowers and Trees”.
– A Metro-Goldwyn-Mayer contrata Jean Harlow, que viria a tornar-se uma das grandes estrelas do estúdio, e o escritor William Faulkner, que viria a ganhar o Prêmio Nobel.
– Shirley Temple faz a sua estreia no cinema com apenas três anos de idade.
– A Kodak introduz no mercado o filme de 8mm, destinado a realizadores amadores.
– Alexander Korda funda, em Inglaterra, a London Films.
– O filme do realizador soviético Sergei Eisenstein “Da Zdravstvuyet Meksika!” – é suspenso devido à falta de apoio financeiro do autor Upton Sinclair.
– O filme “L’ Armata Azzurra”, um tributo à força área de Mussolini, é o primeiro filme de propaganda italiano.
– O Egito estreia o seu primeiro filme sonoro, “Inshudat el Fuad”.
– O psicólogo alemão Rudolf Arnheim publica “Film as Art”, trabalho teórico sobre o formalismo cinematográfico.
» 1933
– O governo americano permite que os grandes estúdios controlem a produção, distribuição e exibição dos seus filmes, tornando-se verdadeiros monopólios.
– A Paramount Publix e a RKO, detentoras da Paramount Pictures e da RKO Pictures, respectivamente, declaram falência.
– Fred Astaire e Ginger Rogers surgem juntos pela primeira vez no filme “Flying Down to Rio”.
– O primeiro drive-in é inaugurado em New Jersey.
– Na Alemanha, os nazistas assumem controle da indústria cinematográfica e forçam os judeus a abandonar os seus postos de trabalho; os estúdios de Hollywood concordam em despedir os judeus que trabalham nos seus escritórios alemães.
– O filme do produtor Alexander Korda “The Private Life of Henry VIII”, é um marco de qualidade na história do cinema inglês.
– Hedy Lamarr ganha notoriedade internacional ao aparecer nua no filme tcheco “Extase”.
» 1934
– O Código de Produção começa a ser rigidamente aplicado e assim se manterá até meados da década de 60.
– O responsável da Metro-Goldwyn-Mayer, Louis B. Mayer, utiliza o serviço de notícias (newsreel) do estúdio contra o candidato a Governador da Califórnia Upton Sinclair; este acabaria por perder as eleições.
– A Columbia Pictures estreia “Woman Haters”, a primeira das 190 comédias interpretadas pelos Três Patetas.
– O realizador francês Jean Vigo morre com tuberculose aos 29 anos, no mesmo ano em que estreia a sua obra-prima, “A Atalante”.
– A Warner Bros. fecha o seu escritório de distribuição em Berlim em reação à política anti-semita do governo alemão.
» 1935
– Os estúdios de Hollywood começam a se recuperar financeiramente, depois dos difíceis anos da Grande Depressão.
– A fusão entre a Twentieth Century Pictures e a Fox Film Corporation leva à criação da 20th Century Fox.
– É criada a Republic Pictures, uma das mais famosas produtoras de filmes B. David O. Selznick abandona a Metro-Goldwyn-Mayer e torna-se um produtor independente.
– Estreia do primeiro filme a utilizar o sistema de 3 cores da Technicolor, “Becky Sharp”.
– É criado, em Roma, a escola de cinema Centro Sperimentale di Cinematografia.
– Em Inglaterra, J. Arthur Rank começa a construir o seu império cinematográfico, ganhando domínio em todos os aspectos da indústria cinematográfica.
» 1936
– Carl Laemmle, fundador da Universal Films, vende o estúdio a um grupo de investidores por pouco mais de $5 milhões de dólares.
– Com o apoio da Pathé, é fundado um novo estúdio em Hollywood: Grand National.
– A Pionner Pictures funde-se com a Selznick Internacional.
– David O. Selznick adquire os direitos sobre obra de Margaret Mitchell “E o Vento Levou”.
– Numa encíclica, o Papa Pio XI denuncia os filmes indecentes.
– Aos 16 anos, Lana Turner é descoberta quando trabalhava numa loja pelo editor do Hollywood Reporter que a recomenda ao realizador Mervyn Leroy.
– O filme de estreia da cantora Deanna Durbin, de apenas 15 anos, é um sucesso comercial e salva a Universal da falência.
– O personagem Pernalonga (Bugs Bunny) é criado por um grupo de desenhistas da Warner Bros.
– É criada, em Paris, a Cinemateca Francesa.
» 1937
– A 20th Century Fox é o primeiro estúdio a usar a rádio para promover os seus filmes.
– “Branca de Neve e os Sete Anões”, da Disney, é o primeiro longa-metragem de animação.
– A invasão japonesa de Shangai, na China, obriga a grande comunidade cinematográfica da cidade a emigrar para Hong Kong e Taiwan; os japoneses utilizam os estúdios ocupados para produzir filmes de propaganda.
– “Saint Tukaram” é o primeiro filme indiano a vencer um prêmio internacional, ao ser premiado no Festival de Veneza deste ano.
» 1938
– O realizador inglês Alfred Hitchcock aceita realizar o seu primeiro filme americano, produzido por David O. Selznick.
– O realizador soviético Mark Donskoy estreia o primeiro filme da Trilogia de Maxim Gorky (1938-1940).
– A Inglaterra aumenta a quota de exibição de filmes ingleses e encoraja o investimento americano na produção inglesa.
» 1939
– Os estúdios americanos têm o seu melhor ano, com um vasto conjunto de filmes aclamados artisticamente.
– O estúdio Grand National entra em processo de falência.
– Estreia de “E o Vento Levou”, um dos maiores sucessos comerciais da história da sétima arte e um dos mais aclamados pela crítica, fez o prefeito da cidade de Atlanta, onde se passa a história, a declarar feriado, fato inédito até hoje.
– Hattie McDaniel vence o Oscar na categoria de melhor atriz secundária e torna-se a primeira pessoa de raça negra a ganhar um Oscar.
– Em consequência do início da II Grande Guerra, as salas de cinema em Inglaterra fecham temporariamente as suas portas.
– “A Regra do Jogo”, a obra-prima do realizador francês Jean Renoir e um dos filmes mais importantes da história do cinema, é um fracasso comercial em sua estreia.

A História do Cinema – Parte 4

A HISTÓRIA DO CINEMA – PARTE 4

1920 – 1929: A ERA DOS SONOROS

A década de 20 é marcada pelo espírito do pós-guerra e a diversidade das produções cinematográficas são reflexo disso mesmo. Nos EUA, os talentos de Charlie Chaplin, Buster Keaton e Harold Lloyd dominam na comédia, Cecil B. De Mille continua a realizar melodramas carregados de sensualidade e os primeiros filmes de gangsters e documentários fazem a sua aparição. Na Europa, as experiências vanguardistas de Man Ray e Luis Buñuel marcam a França do pós-guerra e a Alemanha vive, na primeira metade da década, a era de ouro do expressionismo alemão. Após anos de filmes de propaganda, o cinema soviético (controlado pelo estado) torna-se um centro criativo, cujo expoente máximo são as obras de Sergei Eisentein. Por sua vez, a Índia vive uma década extremamente positiva, produzindo cerca de 100 filmes por ano.

Em Hollywood, as estrelas de cinema, à semelhança dos papeis que interpretam, vivem histórias pessoais rocambolescas: Rudolph Valentino, que se tornara um dos mais famosos galãs da sétima arte, morre em 1926; o comediante Fatty Arbuckle abandona a sua carreira cinematográfica devido às suspeitas de assassinato da atriz Virginia Rappe; em 1918, as salas de cinema recusam-se a exibir os filmes de Francis X. Bushman, quando se tornam públicas as suas aventuras extra-conjugais.

O final da década viria a ser marcada por um dos mais importantes acontecimentos da história do cinema: a exibição do primeiro filme sonoro. Muito embora as experiências de Thomas Edison, foi a pequena empresa Vitaphone (criada pela Warner Bros. e pela Wester Electric) a desenvolver um sistema eficaz e a produzir os primeiros curtas-metragens sonoros em 1926 e um ano mais tarde o primeiro longa-metragem sonoro: “The Jazz Singer”, realizada por Alan Crosland e interpretação de Al Jolson.

Os filmes sonoros foram um sucesso imediato e por volta do final da década, perto de metade das salas de cinema americanas estavam preparadas para exibir filmes sonoros. Muito embora o seu sucesso, o sonoro levou à ruína alguns atores: uns não tinham a voz mais indicada para o novo registro cinematográfico, outros, como Mary Pickford, não conseguiram fugir à imagem que construíram durante a era do mudo e retiraram-se.

A década não terminaria sem mais um acontecimento importante e que iria influenciar a economia mundial, incluindo a indústria cinematográfica: a queda da bolsa de Nova York em Outubro de 1929 e o início da depressão econômica.

Cronologia dos Principais Acontecimentos Ligados ao Cinema, até 1929:
» 1920
– Executivos de Hollywood e políticos criam o Comitê de Americanização para encorajar o sentimento patriótico em filmes.
– Existem cerca de 20.000 salas de cinema operando nos EUA.
– Produtores independentes americanos tentam controlar a distribuição de filmes através da aquisição de novas salas de cinema.
– A exibição do filme “Das Kabinett des Doktor Caligari” dá inicio ao período do expressionismo alemão, que teve como maiores exemplos os realizadores F.W.Murnau, Robert Wiene e Fritz Lang.
– No Brasil, são exibidos pela primeira vez filmes com som sincronizado, utilizando um disco que tocava ao mesmo tempo que era exibido o filme.
– A Polônia assiste à construção do primeiro estúdio cinematográfico do país em Varsóvia.
» 1921
– O estúdio estatal Alemão UFA assina um acordo com a Famous Players-Lasky Corporation para a exibição dos seus filmes nos EUA.
– Durante a década muitos dos atores e realizadores suecos emigram para os EUA, tais como Greta Garbo, Mauritz Stiller e Victor Sjöström.
» 1922
– “The Toll of the Sea” é o primeiro longa-metragem a ser filmado no sistema de duas cores da Technicolor.
– O explorador Robert Flaherty realiza o primeiro documentário do mundo, “Nanook of the North”, sobre o dia a dia de uma família de esquimós.
– Na Itália, a produção nacional diminui devido à invasão de filmes americanos e alemães.
– A China cria a primeira produtora do país, controlada pelo Estado.
» 1923
– A exibição do filme “The Covered Wagon” populariza os filmes de cowboys.
– O filme de Cecil B. De Mille “The Ten Commandments” orçado em $1 milhão de dólares torna-se um enorme sucesso de bilheteira.
– A Eastman Kodak introduz no mercado a película de 16 milímetros, destinada a amadores, mas o formato torna-se popular nos mercados industrial e educacional.
– As cidades japonesas de Tóquio e Yokohama são atingidas por um terremoto, destruindo a maioria dos estúdios e salas de cinema do país que ali se concentravam.
– Um promotor imobiliário constrói a palavra Hollywoodland nas colinas de Los Angeles; mais tarde a palavra é encurtada, ficando como um dos mais lendários símbolos da sétima arte.
– Durante os 10 anos seguintes, o Japão tem uma das mais produtivas cinematografias mundiais.
– O estado soviético cria a unidade criativa Proletino para produzir filmes politicos.
» 1924
– Algumas salas de cinema nos EUA começam a programar sessões duplas.
– São criados os estúdios Gainsborough, em Inglaterra, onde Alfred Hitchcock viria a realizar os seus primeiros filmes.
– Começa a nascer a Poverty Row, uma zona de Hollywood onde ficam instalados os escritórios de pequenas produtoras, entre elas a Columbia Pictures.
– A Metro-Goldwyn Pictures é criada a partir da fusão entre a Metro Pictures, Goldwyn Pictures e a Louis B. Mayer Productions.
– A produtora Famous Players-Lasky começa a ser ofuscada pela sua distribuidora Paramount, que ganha cada vez mais poder com as salas de cinema que vai adquirindo.
» 1925
– Os dinossauros fazem a sua primeira aparição nas telas de cinema no filme “The Lost World”, cujos efeitos especiais são criados por Willis O’Brien, que mais tarde seria o responsavél pelos efeitos do filme “King Kong”.
– Por causa de um concurso de uma revista de cinema, a Metro-Goldwyn-Mayer muda o nome da atriz Lucille Le Seur para Joan Crawford.
– A jornalista Louella Parsons inicia a sua famosa coluna de opinião.
– A Warner Bros. lança uma estação de rádio, adquire a empresa Vitagraph e junta-se à Western Electric para desenvolver um sistema de som para filmes.
– Em “O Encouraçado de Potemkin”, o realizador Sergei Eisenstein introduz a técnica da montagem.
– A produção cinematográfica tcheca reacende-se e ganha fama internacional.
» 1926
– O ator Rudolph Valentino morre com um câncer, provocando uma intensa reação dos seus admiradores durante o seu funeral.
– “Don Juan” é o primeiro filme a utilizar o sistema sonoro Vitaphone, apenas com efeitos sonoros e música.
» 1927
– A 6 de outubro estreia o primeiro longa-metragem sonoro (“The Jazz Singer”), interpretada por Al Jolson; a reação do público é extremamente positiva.
– É criada, nos EUA, a AMPAS (Academy of Motion Pictures Arts And Sciences) que atribuirá em 1929 os primeiros prêmios de excelência, conhecidos por Óscares.
– O realizador Frank Capra é contratado pela Columbia Pictures, sendo de extrema importância na ascensão da produtora como um dos principais estúdios de Hollywood.
– Em Hollywood, é inaugurada a famosa sala de cinema The Chinese Theater e em Nova York abre a maior sala de cinema com 6.214 lugares.
– Os estúdios de Hollywood impõem regras de conduta a si próprios para proibir a exibição de escravatura branca, romance inter-racial e o uso de drogas.
– A Famous Players-Lasky Company torna-se os estúdios Paramount.
– O Egito produz o seu primeiro longa-metragem (Laila).
– A produção cinematográfica norueguesa ganha reconhecimento com o filme “Troll-elgen”.
» 1928
– A Warner Bros. estreia o primeiro filme totalmente sonoro e é responsável por todos os filmes sonoros produzidos neste ano (10).
– Utilizando um sistema de som melhorado, Walt Disney e Ub Iwerks produzem o cartoon “Steamboat Willie”, dando a conhecer o personagem de Mickey Mouse, à qual Disney fornece a sua própria voz.
– Com a estreia do seu primeiro filme sonoro (Loves of an Actress), a atriz Pola Negri é forçada a aposentar-se porque o seu sotaque polaco não é perceptível pelo público.
– A Paramount anuncia que a partir de 1928 apenas produzirá filmes sonoros.
– Pela primeira vez é utilizado um trailer com som para anúnciar o filme “Tenderloin”.
– É criado o estúdio RKO Radio Pictures.
– Estreia em Paris o filme “Um Cão Andaluz” de Luis Buñuel com uma boa aceitação do público, muito embora as suas imagens perturbantes tenham provocado polêmicas, reações contrárias e proibições.
– Os realizadores soviéticos Eisenstein, Alexandrov e Pudokin apresentam a teoria sobre o cinema sonoro: “O Futuro do Filme Sonoro”.
– O governo soviético critica o realizador Eisenstein pelo seu filme “Outubro” e decide que os filmes soviéticos devem ser realizados de modo a serem compreendidos pelas massas.
» 1929
– A Academia das Artes e Ciências Cinematográficas realiza a primeira cerimônia de entrega do Oscar.
– Os Irmãos Marx estreiam o seu primeiro filme, “The Cocoanuts”, e King Vidor realiza o primeiro filme sonoro apenas com atores negros.
– A Warner Bros. adquire várias editoras de música, com o objetivo de utilizar as músicas nos seus filmes.
– “On With the Show”, da Warner, é o primeiro musical sonoro a cores.
– No final da década, vários países europeus, entre eles a Inglaterra, França, Austria e Hungria, impõem quotas à importação de filmes estrangeiros.
– A legislação italiana obriga a que todos os filmes sejam exibidos em italiano.
– O número de espectadores triplica na França entre o fim da I Guerra Mundial e 1929.
– Alfred Hitchcock realiza “Chantagem e Confissão”, o primeiro filme sonoro inglês.